O INDIFERENTE (Leonardo Silva)

 

Não espere de mim
Ódios homicidas
Não consigo odiar ninguém
Não odeio os que dizem sim
Nem os que gritam não
Não excomungo os hereges
Nem abençoo os fiéis
Não odeio os de esquerda
Muito menos almofino os de direita

Eu não consigo odiar ninguém

Não brado contra o opressor
Muito menos condeno o oprimido
Jamais apoio o professor
Muito menos o aluno perdido

Eu não consigo odiar ninguem

Não xingo o juiz vacilante
Muito menos a falta cavada
Do estrelado atacante

Não,eu não consigo mudar
Sou o virtuoso e sereno
Cidadão indiferente
Alma jamais penitente
Antirevolucionário decadente
Contribuinte aferreno
Disposto a tudo
Para a nação afundar.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry